Saúde da Mulher

Sangramento uterino anormal

Todo mês grande parte das mulheres tem sangramento vaginal decorrente da menstruação. Isso pode ter forte impacto no seu dia a dia. O padrão menstrual das mulheres varia demais e muitas vezes o que se acha normal na realidade não é.

Os quatro critérios mais importantes para se considerar que um padrão menstrual é normal são:

  1. Frequência: o tempo entre uma menstruação considerado normal pode variar de 24 a 38 dias.
  2. Regularidade: Dificilmente uma mulher vai ter exatamente o mesmo intervalo entre uma menstruação e outra durante o ano, o que é chamado de Regularidade. O considerado normal é de até 7 dias de diferença entre os ciclos. Portanto, se um ciclo durar 25, outro 30 e no outro 32 dias, isso é normal e dizemos que o ciclo menstrual é regular. Por outro lado, se um ciclo durar 21 dias e o outro durar 33, com 12 dias de diferença entre os ciclos isso não é normal e deve chamar a atenção. Isso vale para mulheres entre 26 e 41 anos. Fora dessa faixa etária o intervalo considerado normal é maior, de até 9 dias.
  3. Duração: deve-se avaliar o número de dias que dura a menstruação. O normal é ser 8 dias ou menos.
  4. Quantidade de sangramento durante a menstruação, o que é chamado de Fluxo: esse critério é o mais difícil de avaliar. Na prática deve-se avaliar o número de absorventes que usa, se precisa usar 2 absorventes e mesmo assim vaza na roupa ou no lençol, se tem coágulos, se fica com anemia na fase menstrual e o quanto tudo isso interfere na sua vida. Se tiver grande interferência e afetar a qualidade de vida, não é considerado normal.

Além desses critérios, existem mais três situações que também definem se o padrão menstrual é normal ou não.

  1. Mudança no padrão menstrual: como mencionado, é esperado que se tenha pequenas mudanças entre um ciclo menstrual e outro, mas se essa diferença for muito grande, isso é motivo de atenção. Isso pode ser observado se passar a usar mais absorventes que usava antes, se o tempo de duração da menstruação persiste maior ao longo do tempo do que era antes, dentre outras.
  2. Sangramento em idade fora da idade reprodutiva, incluindo crianças e mulheres após a menopausa. Normalmente as meninas começam a menstruar a partir de 9 anos. Um sangramento vaginal em criança mais nova pode ser um sintoma de um problema chamado puberdade precoce. Essa doença pode ter forte impacto na evolução da criança, por isso deve-se ficar atento. Da mesma maneira, após a menopausa a mulher deixa de menstruar e, portanto, não deve sangrar. O sangramento nessa fase da vida pode estar relacionado a diferentes problemas como doenças sistêmicas, remédios, e câncer de colo de útero e de endométrio, e, por este motivo, deve ser sempre investigado.
  3. Sangramento vaginal fora do período menstrual. Isso geralmente ocorre em pequena quantidade e pode fazer parte da normalidade, por exemplo durante a ovulação. Mas pode ser um indicativo de um problema como pólipos, infecção e até mesmo câncer. Por isso deve ser investigado.

Se não ocorrer nenhuma alteração nos critérios e nas situações mencionadas, o padrão menstrual é considerado normal. Na presença de qualquer alteração, o padrão menstrual não é normal e, nesse caso, deve-se procurar um médico para entender a causa do sangramento.

Antes de dizer que o problema é um Sangramento Uterino Anormal é importante descartar três outras causas de sangramento.

A primeira possibilidade que deve ser avaliada é se existe alguma chance de gravidez. Gravidez pode causar sangramento vaginal em diferentes situações como abortamento, hematomas, gravidez fora do útero, o que é chamado de gravidez ectópica, dentre outras. Por isso, se existe essa possibilidade deve-se fazer exames para comprovar e procurar o médico o quanto antes.

Deve-se observar se esse sangramento vem da vagina ou do útero. Quando é da vagina o sangramento normalmente é de pequena quantidade e pode estar associado a infecções vaginais, algum trauma na relação sexual ou objetos estranhos como absorventes internos esquecidos, dentre outros.

Deve-se checar ainda se esse sangue sai mesmo da vagina e não da bexiga ou do reto, o que também pode confundir.

Não sendo essas as possibilidades, é muito provável que o sangramento venha do próprio útero, o que é chamado de Sangramento Uterino Anormal e é a causa mais comum de sangramento vaginal e o tema aqui abordado.

Principais Causas de Sangramento Uterino Anormal

Pode ser uma causa do próprio útero como mioma, a Adenomiose (que é a presença de tecido endometrial – que deveria estar somente na camada de dentro do útero- também na musculatura do útero), infecção do útero, pólipos e as causas malignas como o câncer de endométrio e o câncer de colo de útero.

Para esses diagnósticos o médico precisará solicitar exames complementares. Pode-se ajudar levando todos os exames que já feitos, como ultrassom transvaginal, pélvico e Papanicolau.

Pode também ser uma causa sistêmica, ou seja, um problema de outra parte do corpo e que está interferindo no útero. Nesse grupo é importante destacar:

  • Problemas de coagulação: deve-se suspeitar desse problema se tiver fluxo muito alto desde a primeira menstruação, ou ainda se tiver manchas roxas, chamadas de hematomas, pelo corpo, episódios de sangramento espontâneo pelo nariz ou na gengiva.
  • Problemas hormonais, como problemas de tireoide, aumento de prolactina e que muitas vezes é percebida pela saída de leite das mamas, ovários policísticos, caracterizado por irregularidade menstrual, aumento de acnes e pelos pelo corpo, dentre outros.
  • Medicamentos: alguns medicamentos podem estar associados ao sangramento uterino anormal. Se houver essa suspeita deve-se checar se está usando alguma medicação nova, principalmente anticoncepcionais hormonais, tamoxifeno, anticoagulantes, corticoides, alguns antidepressivos e medicação para epilepsia.

Além desses, existem muitas outras causas de sangramento uterino anormal como estresse, exercícios físicos extenuantes, malformações uterinas, dentre outros.

Entendido quando se deve suspeitar do problema, as principais causas e sintomas relacionados, existem mais dois aspectos a serem destacados:

O primeiro é a importância desse tema. Estima-se que uma em cada três mulheres são afetadas por sangramento uterino anormal. Além de muito frequente, o sangramento e risco de vazamento geram desconforto e insegurança, afetando a autoestima, vida social, relacionamento, desempenho esportivo, escolar e profissional, tendo por tudo isso forte impacto na qualidade de vida da mulher.

O segundo aspecto é o tratamento. Como pode ser observado, existem diversas causas para o problema, cada uma com um tratamento específico. Na maioria das vezes o tratamento tem bom resultado.

Por isso deve-se avaliar o padrão menstrual seguindo tudo o que foi mencionado. Se este padrão não for normal, deve-se procurar um médico, no caso um Ginecologista.

Assista no vídeo a seguir a explicação de nosso especialista!

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo