Queda de Cabelo

Para entender a queda de cabelo ou alopecia, seu nome científico, é preciso saber sobre a estrutura do cabelo. O pelo, ou cabelo, é composto de duas partes principais: o bulbo ou folículo, e a parte longa do cabelo, chamada haste. O folículo fica dentro da pele e a haste fica para fora da pele. Cada fio de cabelo tem um tempo de vida normal. Esse tempo varia de pessoa para pessoa e, quando o tempo acaba, o fio cai naturalmente. É normal cair em torno de 100 fios por dia.

A queda de cabelo pode acontecer por problemas diretamente no bulbo ou por quebra da haste. Existem vários fatores diferentes que podem atuar no bulbo e fazer o cabelo cair antes do tempo programado, como falta de nutrientes, excesso de hormônios masculinos, predisposição genética e inflamações. Por isto, a queda de cabelo em si é um sintoma e não uma doença. Para poder tratá-la é preciso saber a causa antes de iniciar qualquer tipo de tratamento.  

A primeira coisa a ser observada é se a perda de cabelo é maior do que a normal. Deve-se reparar se há mais fios de cabelo pelo chão da casa, no travesseiro, no ralo do banheiro após o banho, ou na escova do cabelo. Se isso estiver acontecendo, existem algumas informações que são importantes de serem observadas antes de ir ao médico:

  • Região da cabeça que está havendo mais perda de cabelo. Existem três padrões principais de perda de cabelo:
  1. Queda de cabelo na parte superior do couro cabeludo, que pode ser na frente, nas conhecidas “Entradas,” ou no topo da cabeça;
  2. Queda de cabelo de forma difusa, por todo o couro cabeludo;
  3. Queda de cabelo em algumas áreas focais, específicas, em qualquer lugar da cabeça.
  • O tempo em que a queda está acontecendo, se a perda ocorre há meses, anos ou se iniciou recentemente;
  • Ocorrência de algum fato na vida que possa estar causando a queda de cabelo. A condição física e mental de uma pessoa pode ter influência na queda de cabelo. Por isso, o paciente deve observar se tem passado por algumas situações, tais como:
  1. Estresse;
  2. Perda grande de peso;
  3. Problemas de saúde como diabetes, hipotireoidismo, etc.
  4. Cirurgia. 
  • Utilização de alguma química ou produto diferente no cabelo nos últimos tempos;
  • Utilização de alguma medicação nova. Vários tipos de medicações como quimioterápicos, remédios para artrite ou para alguns outros tipos de problemas de saúde podem estar associados à queda de cabelo;

A razão de saber essas informações é tentar identificar a causa do problema sem ter que recorrer a exames diagnósticos sofisticados. Existem muitas causas para a queda de cabelo, mas três delas merecem ser destacadas: O Eflúvio Telógeno, a Alopecia Androgenética, e a Alopecia Areata.

  1. O eflúvio telógeno ocorre geralmente quando o paciente está sob algum tipo de estresse físico ou emocional, é mais comum em mulheres e é caracterizado por uma perda do cabelo em todo o couro cabeludo podendo ou não ter início súbito;
  2. A alopecia androgenética é muito comum em homens, mas pode acontecer em mulheres. Ela inicia normalmente nas regiões laterais da cabeça, conhecidas como “entradas”, e podem aparecer no topo da cabeça. Esse tipo de queda de cabelo tem uma causa genética, ou seja, é comum que o paciente tenha outros familiares com o mesmo problema.
  3. A alopecia areata, que é uma outra causa frequente em homens e mulheres,. Nesse tipo de queda de cabelo é comum que sejam observadas clareiras no meio do couro cabeludo, ou seja algumas áreas sem cabelo, apesar de que este tipo também pode ser difuso e o cabelo pode algumas vezes cair por inteiro. Esse tipo de queda de cabelo ocorre por uma inflamação no folículo piloso e costuma ter causas autoimunes, ou seja, o próprio corpo do paciente combate o fio de cabelo. Nesse caso o médico deve ser procurado.

Não se pode esquecer também da queda de cabelo que ocorre por tratamentos químicos inadequados, muitas vezes em salões de beleza e cabelereiros, ou mesmo feitos em casa como tinturas ou tratamentos alisantes. Nesse caso, a queda não ocorre a partir do bulbo ou folículo, mas em uma quebra na haste dos fios. É importante diferenciar este tipo de queda de cabelo, porque muitas pessoas acham que as químicas fazem o cabelo cair.

Além disso, muitas mulheres depois do parto têm queda de cabelo. Isso acontece normalmente por volta do quarto mês pós parto. Na grande maioria das vezes o cabelo volta completamente, mas pode não voltar em algumas mulheres que já têm uma propensão genética a ter queda de cabelo.

Se ocorrer a queda demasiada de cabelo, deve-se evitar tomar medicações ou usar cosméticos por conta própria. Isso poderá atrasar o diagnóstico e causar uma perda maior de fios. O melhor a fazer é procurar um dermatologista.

Assista no vídeo a seguir a explicação de nosso especialista!

Inscreva-se em nosso canal. 

Postamos vídeos novos todas as quartas às 11h!

Fique conectado

Acesse nosso facebook.

Fale conosco por e-mail:

Receba as novidades do Dr. Ajuda direto no seu e-mail!



Copyright – All rights reserved – Estes vídeos não dispensam uma consulta médica.

Theme developed by TouchSize - Premium WordPress Themes and Websites