Hérnia de Disco

Nem toda dor nas costas e dor no pescoço são causados por hérnia de disco. Hérnia de disco é uma das doenças que causam esses sintomas mas existem outras.

Sintomas da Hérnia de Disco

Existem vários pontos que devem ser observados para se suspeitar de Hérnia de Disco. Três deles são:

  1. Dor nas costas ou no pescoço, e que irradia para outro lugar

De maneira geral, a hérnia de disco pode acontecer em qualquer região da coluna vertebral, mas é muito mais frequente na coluna lombar e cervical.

A pessoa pode sentir dor no local da hérnia e também em outros locais, o que é chamado de irradiação. Assim, se a hérnia está na coluna lombar pode ocorrer dor lombar baixa e dor irradiada para as pernas, em geral doendo a parte de trás das pernas incluindo glúteo, coxa e podendo ir até o pé.

Esse quadro é denominado lombociatalgia, ou popularmente chamado de dor no ciático. Essa dor no ciático é um dos sintomas de hérnia.

No caso das hérnias de disco cervical, pode ocorrer dor no pescoço com irradiação para o braço e até a mão.

A dor pode vir gradualmente com o tempo ou de maneira súbita, principalmente após um esforço físico, um movimento brusco ou carregar peso. Pode piorar com algumas posições específicas do braço ou mesmo com a posição de dormir.

  1. Formigamento, dormência ou perda de força em algum membro

Dependendo da gravidade pode haver problemas de sensibilidade, como formigamento e dormência, e também motores, como a perda de força dos membros. O local desses sintomas vai depender da área afetada e segue a mesma lógica da dor: nas hérnias lombares isso ocorre nas pernas e no caso das hérnias cervicais, nos braços. Na maioria das vezes ocorre em apenas um lado e em geral é gradativo.

  1. Incontinência urinária ou fecal

Além desses sintomas, nos casos mais graves, a pessoa pode deixar de sentir o períneo e perder o controle dos esfíncteres, principalmente o da urina, ou seja, a pessoa além da dor incapacitante pode apresentar incontinência urinária ou fecal. Isso é um sinal de gravidade e diante dessa situação deve-se procurar imediatamente o Pronto Socorro.

O que é hérnia de disco

Antes de explicar sobre o problema é preciso entender um pouco sobre a coluna. A coluna é formada por ossos chamados vértebras, que são separadas umas das outras por pequenas articulações e pelos discos intervertebrais. Esses discos são como pequenos amortecedores que tem dentro um conteúdo gelatinoso e por fora um tecido mais duro, cartilaginoso. Têm como função diminuir o atrito e impacto entre as vértebras e ao mesmo tempo permitir o movimento entre elas.

Por dentro da coluna, por um lugar chamado Canal Vertebral, tem-se ainda a medula espinhal. É dessa medula que saem os nervos para diferentes partes do corpo, no que é chamado de raízes nervosas. É assim que o cérebro comanda o corpo: na parte motora ele envia um comando através da medula e depois para os nervos, que vão atuar em alguns músculos e assim definir uma ação, por exemplo, mexer o dedo. Da forma contrária funciona a parte da sensibilidade: quando tocamos em algo, isso gera um estímulo que é transmitido pelos nervos menores até os nervos maiores, chega na medula espinhal e dessa vai para o cérebro para daí interpretarmos os detalhes do que foi tocado: se é quente, macio, rígido e assim por diante.

 

A hérnia de disco é um problema nos discos da coluna. Esses discos podem ficar abaulados ou mesmo se romperem liberando parte do seu conteúdo gelatinoso.

Quando isso ocorre em direção ao Canal Vertebral, que é o lugar que passa a medula e as raízes nervosas, pode comprimir os nervos que estão ali e gerar os sintomas. Para cada nervo ou raiz nervosa que é comprimido, haverá um sintoma que está relacionado aquele nervo. Por isso os sintomas de dor no trajeto desse nervo e, em casos mais graves, perda de sensibilidade ou de força específicos de cada lugar.

Causas de hérnia de disco

A fraqueza do disco ou degeneração do disco que ocorre com o tempo é a causa mais frequente, e pode ser dividido em dois grandes grupos: o primeiro diz respeito às alterações genéticas, e o segundo compreende as causas ambientais, que incluem aspectos como a ergonomia em casa, no trabalho e no lazer, sedentarismo, atividade física realizada de maneira inadequada.

Isso tem tudo a ver com os hábitos de grande parte das pessoas hoje em dia, que ficam com uma postura ruim vendo um computador ou com pescoço abaixado vendo o celular por horas e horas sem se preocupar com a ergonomia, ou que não têm tempo para fazer atividade física. Por isso a hérnia de disco está cada vez mais presente.

Além desses, o tabagismo e mais raramente os traumas também podem causar essa doença.

Fatores de risco

As pessoas que têm mais chance de ter esse problema, ou seja, os fatores de risco, são:

  • Pessoas com histórico familiar: uma pessoa que tenha alguém na família com esse problema possui um risco maior de ter hérnia de disco;
  • Tabagistas;
  • Trabalhadores braçais com movimentos repetitivos como elevar peso do chão, ou estar sempre com uma postura curvada;
  • Praticantes de atividade física sem preparo adequado;
  • Sedentários e obesos.

Portanto, se uma pessoa estiver com os sintomas mencionados, principalmente se fizer parte desses grupos de risco, deve procurar um médico para fazer o diagnóstico.

O diagnóstico é sugerido a partir dos sintomas e das alterações no exame físico. Para sua confirmação o exame complementar de escolha é a ressonância magnética.

Tratamento

Aproximadamente 85% dos casos tem evolução favorável. Nesse grupo o sintoma principal é a dor que é mais intensa na fase inicial, quando há maior reação inflamatória e compressão dos nervos. À medida que passa o tempo a inflamação e hérnia vão diminuindo e com isso a dor também diminui. Tudo isso normalmente tem duração de 2 a 3 semanas.

Nessa situação o tratamento de uma maneira geral é repouso, medicações para tirar a dor e em alguns casos fisioterapia.

Em casos de dor persistente, de forte intensidade e principalmente com as alterações neurológicas como formigamento, dormência e perda de força, podem ser considerados os tratamentos com infiltração de corticoide nas raízes nervosas e até cirurgia para retirar a hérnia e descomprimir os nervos.

Para finalizar, tem mais um ponto que merece ser destacado: a hérnia de disco é mais comum do que a maior parte das pessoas imagina. Estima-se que 30 a 40% das pessoas podem ter uma hérnia de disco assintomática, porém entre 2 a 5 % das pessoas terão sintomas.

Se forem observados os sintomas mencionados, deve-se procurar um médico. Os mais indicados são o ortopedista especializado em coluna ou o neurocirurgião.

Assista no vídeo a seguir a explicação de nosso especialista!

Inscreva-se em nosso canal. 

Postamos vídeos novos todas as quartas às 11h!

Fique conectado

Acesse nosso facebook.

Fale conosco por e-mail:

Receba as novidades do Dr. Ajuda direto no seu e-mail!



Copyright – All rights reserved – Estes vídeos não dispensam uma consulta médica.

Theme developed by TouchSize - Premium WordPress Themes and Websites