Sedentarismo

A Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica como atividade física insuficiente menos de 150 minutos de atividade moderada, como caminhar, correr, pedalar, pular, dançar ou nadar, ou menos de 75 minutos de atividades intensas, como correr, jogar um esporte, como vôlei ou basquete, por semana.

Existem várias consequências do sedentarismo, e dentre elas destacam-se:



SEDENTARISMO 4

Além disso, outros problemas podem acontecer como, por exemplo, a infertilidade. O exercício físico melhora a quantidade e qualidade dos espermatozoides, mau humor, dores crônicas, dentre outros problemas.

Informações importantes sobre o sedentarismo

Atualmente o sedentarismo ocorre em grande parte da população mundial, e a maioria das pessoas faz menos atividade física que os pais e avós: Ao longo das gerações cada vez mais a locomoção, o trabalho e as atividades recreativas são menos físicas e predominantemente sentadas. No passado poucos tinham carros, o transporte público era bem limitado e grande parte das pessoas caminhava muito. O trabalho envolvia alguma atividade física na lavoura, na indústria, nos pequenos comércios, e mesmo em casa as atividades domésticas eram quase sempre manuais. As atividades recreativas das crianças eram também predominantemente esportivas ou brincadeiras na rua. Hoje o transporte público melhorou, em vez de andar as pessoas ficam horas no trânsito sentados no carro, no ônibus ou no metrô. 

Nas grandes cidades estima-se que entre uma a quatro horas do dia são gastos no transporte. Hoje existe lava roupa, lava louça, batedeira, usamos escadas rolantes e elevadores ao invés das escadas. A maior parte das pessoas trabalha sentado, em frente a um computador e ao lado do seu telefone. A TV, vídeo game, tablets, computadores dominaram as brincadeiras das crianças. Não é à toa que os mais velhos comentam o tempo todo que não veem crianças nas ruas. Como resultado, as pessoas ficam sentadas grande parte do seu dia e fazendo muito menos atividade física. Para se ter uma ideia de como isso é frequente, estima-se que quase metade, 46%, das pessoas no Brasil são sedentárias.
Para combater isso deve-se tentar reservar parte do tempo para a prática de exercícios. Como mencionado, o recomendado pela OMS são 150 minutos por semana ou próximo de 20 a 30 minutos por dia de atividade física aeróbica de intensidade moderada, como caminhar rápido, correr, pedalar, pular corda ou nadar ou, ainda, 75 minutos semanais de atividade física aeróbica vigorosa, ou uma combinação dos dois. 

O ideal é que cada vez que se pratique exercícios, isso seja feito por no mínimo 10 minutos. Então, pode-se fazer atividade física diária em vários momentos, não necessitando ser contínuo, mas a cada momento deve-se ter pelo menos 10 minutos de atividades.
Se uma pessoa já faz isso e quer aumentar os benefícios com a pratica de exercícios, existem tem duas formas para isso: Uma delas é aumentando o tempo da prática de exercícios, por exemplo, 300 minutos de atividade moderada ou 150 minutos de atividade intensa por semana ou ainda uma combinação dessas duas atividades. Além disso, pode-se associar atividades de fortalecimento dos músculos, a musculação, em dois ou mais dias da semana.
Mas se a pessoa tiver dificuldade de incluir estas atividades no seu dia a dia, ela pode tentar 10 minutos de caminhada na sua ida ao trabalho ou na volta para a casa, repensar se não é possível trocar elevadores por escadas, fazer atividades domésticas, ou até mesmo caminhar até o comércio mais próximo ao invés de solicitar uma encomenda pelo telefone. 

Se a pessoa tiver filhos, é importante a prática de esportes como atividade de lazer das crianças e dos adolescentes. Deve-se lembrar que o sedentarismo é o principal fator de risco para a obesidade infantil. Existe mais um aspecto importante a ser destacado, e que é uma dúvida frequente das pessoas, e que se trata sobre ser atleta de final de semana, e se isso faz bem ou faz mal. O que se sabe hoje é que faz bem, e que mesmo pouca atividade física intermitente, por exemplo, 75 minutos de atividade intensa no final de semana, ou algo semelhante, reduz a mortalidade global e aumenta o bem estar. O problema de fazer atividades intermitentes, somente no final de semana, é o risco de lesão, como por exemplo, em esportes de contato, que pode ser mais prejudicial. 

Portanto, é importante começar a praticar exercícios o quanto antes, Se possível, procurar orientação com um Educador físico, um Médico do Esporte ou um Clínico Geral.

Assista no vídeo a seguir a explicação de nosso especialista!

Inscreva-se em nosso canal. 

Postamos vídeos novos todas as quartas às 11h!



Inscreva-se

Fique conectado

Acesse nosso facebook.


Facebook

Fale conosco por e-mail:

Receba as novidades do Dr. Ajuda direto no seu e-mail!












Copyright – All rights reserved – Estes vídeos não dispensam uma consulta médica.