DOR NO PEITO E INFARTO: QUANDO PROCURAR O MÉDICO?

Para entender melhor a dor no peito, ou dor no tórax, ou dor torácica, é preciso saber o que existe no tórax.
No tórax existem vários órgãos que podem causar dor. Resumidamente, se tem o esôfago, que comunica o estomago até a garganta, os pulmões, as pleuras que recobrem os pulmões, e o coração. Para fora do tórax tem-se os músculos, as articulações, e os ligamentos. Tudo isso pode causar dor. Além disso, existem as glândulas mamárias, que na mulheres pode também ser uma importante causa de dor.
Resumidamente, se tem o esôfago, que comunica o estomago até a garganta, os pulmões, as pleuras que recobrem os pulmões, e o coração. Para fora do tórax tem-se os músculos, as articulações, e os ligamentos. Tudo isso pode causar dor. Além disso, existem as glândulas mamárias, que na mulheres pode também ser uma importante causa de dor.
A dor no peito é um sintoma que pode significar muitas coisas, desde situações muito tranquilas que são problemas de fácil resolução, até situações extremamente graves que comprometem a vida ou a integridade de algum órgão, em que é preciso chamar uma ambulância ou ir para o Pronto Socorro.
Existem dois fatores muito importantes que requerem atenção para diferenciar uma dor torácica de origem cardíaca de uma dor torácica de outras causas. Esses dois fatores são: as características da dor e as características do paciente.

Características da dor

A dor de origem cardíaca geralmente se localiza bem na frente do peito, na região chamada precordial, e muitas vezes pode irradiar para outros lugares, como braço e ombro esquerdo, assim como mandíbula, pescoço, e eventualmente para as costas. Além disso, a informação sobre o que o paciente estava fazendo quando começou a sentir dor é também importante para que o médico saiba se é uma dor de origem cardíaca ou não. Uma dor desencadeada por esforço físico ou uma dor desencadeada por estresse emocional importante, pode ser uma dor anginosa e é um dos fatores de preocupação.
Uma dor desencadeada por esforço físico ou uma dor desencadeada por estresse emocional importante, pode ser uma dor anginosa e é um dos fatores de preocupação.
Dores menos específicas, como por exemplo, em outras localizações do tórax, ou que têm características diferentes porque não têm desencadeantes tão óbvios, também podem ser de origem cardíaca, mas muito provavelmente não o são. Nesses casos, deve-se prestar atenção se houve algum trauma ou alguma batida que possa ter acontecido antes da dor, e que pode tê-la causado. Se a dor piora com a movimentação do tronco ou dos braços, normalmente o problema está associado a um problema muscular.
Se a dor piora quando respira ou quando tosse, existe uma chance da dor ser de origem pulmonar ou das pleuras. Nesses casos, é interessante prestar atenção em outros sintomas como, por exemplo, tosse, catarro, febre, pois tudo isso pode indicar uma doença de origem pulmonar.
Se a dor começa depois de grandes refeições, se piora quando come muito e depois se deita, se tem a sensação de queimação ou azia, essa dor pode ser de origem esofágica, uma dor do refluxo gastresofágico, quando o conteúdo gástrico volta para o esôfago. Isso pode causar uma sensação de dor que às vezes se confunde com dor de origem cardíaca.
Se a dor começa depois de grandes refeições, se piora quando come muito e depois se deita, se tem a sensação de queimação ou azia, essa dor pode ser de origem esofágica, uma dor do refluxo gastresofágico, quando o conteúdo gástrico volta para o esôfago. Isso pode causar uma sensação de dor que às vezes se confunde com dor de origem cardíaca.

Características do paciente

Os indivíduos têm maior ou menor risco de desenvolver doenças do coração, dependendo de terminados fatores. Esses fatores são chamados de fatores de risco.
Os fatores de risco mais importantes para a doença do coração são:

  • Idade :Homens acima de 55 anos e mulheres acima de 65 anos;
  • Presença de doenças como, por exemplo, Hipertensão ou Pressão Alta, Diabetes, Colesterol ou Triglicérides elevados;
  • Fumantes;
  • Antecedentes na família: pai, mãe, irmãos ou parentes próximos que já tiveram um evento cardíaco importante como, por exemplo, infarto ou revascularização do miocárdio.

Existem certas situações, chamadas de sinais de alerta, nas quais deve-se chamar uma ambulância ou procurar o Pronto Socorro:

  • Dor no peito com as características de dor no coração, descritas anteriormente;
  • Paciente de alto risco com dor no peito, mesmo que não seja uma dor com características de dor cardíaca;
  • Paciente com antecedentes de doença cardíaca, com dor no peito mesmo que não seja uma dor com características de dor cardíaca.

Nas situações em que a dor no peito não parece ser de origem cardíaca e não preenche os sinais de alerta, não significa que não se deve procurar atenção médica, mas não necessariamente o Pronto Socorro. Nesses casos, deve-se procurar o consultório ou ambulatório para uma avaliação.

Theme developed by TouchSize - Premium WordPress Themes and Websites