O QUE É FIBROMIALGIA?! DESCUBRA OS SINTOMAS!

Fibromialgia é um problema de saúde difícil de ser diagnosticado. O diagnóstico é clinico, baseado principalmente nas queixas do paciente. Portanto, é importante reparar cuidadosamente nos seus sintomas.
O principal sintoma é a dor crônica, isto é, uma dor que dura mais de seis meses. Em geral, o nosso corpo tem um processo para curar a dor que dura aproximadamente três meses. Uma dor que dura mais de seis meses, já é considerada uma doença. Uma pessoa com fibromialgia pode ter uma sensação de dor no corpo todo, ou uma dor que muda de lugar como, por exemplo, a dor começar nas costas, ir para as pernas, e no outro dia estar doendo as mãos.
Uma pessoa com fibromialgia pode ter uma sensação de dor no corpo todo, ou uma dor que muda de lugar como, por exemplo, a dor começar nas costas, ir para as pernas, e no outro dia estar doendo as mãos.
Essa dor pode ter muitas características diferentes. Pode ser uma sensação de queimação, latejamento, pontadas, pulsação, etc. Ela pode ocorrer em qualquer lugar do corpo. Ao ter essas dores, é comum o paciente procurar um especialista para o local do corpo que está doendo mais, Ao procurar o especialista, a maioria dos exames do paciente está normal, ou tem alterações que não justificam a dor. Mas isso não significa que o paciente não tenha um problema.
Além dos sintomas de dor, existem outros sintomas que devem ser observados. Cinco aspectos importantes para o diagnóstico de fibromialgia são:

  1. Humor: A maioria das pessoas com dor crônica pode ficar irritada, ansiosa, nervosa, ou triste. É comum também apresentar problemas mais graves como Depressão e Transtornos de Ansiedade. Isso é importante, não só porque é mais uma característica para o diagnóstico de fibromialgia, mas porque trazem prejuízos muito importantes para a vida do paciente. Nos casos mais graves, a pessoa não tem vontade de sair de casa, prejudicando muito o trabalho e a convivência social.
    Humor
  2. Sono: Na fibromialgia, os pacientes têm alterações nas fases profundas do sono ou seja, eles têm um sono muito superficial. Acordam com a sensação de que não dormiram bem. Essa alteração de sono traz um prejuízo para o dia a dia do paciente. Ele fica cansado, mais estressado durante o dia, tem um aumento da dor, prejudicando o sono do dia seguinte, e isso se torna um ciclo vicioso.
    Sono
  3. Cansaço: Com quadro de dor diária, e as alterações no sono próprias da fibromialgia, o cansaço aparece como consequência inevitável. Esse cansaço surge diariamente em atividades costumeiras. Por exemplo, a pessoa tem a sensação de palpitações e fraqueza em atividades que requeiram esforço mínimo, como tomar banho, varrer a casa ou escrever um trabalho.
    Cansaço
  4. Intestino: É comum um paciente com fibromialgia queixar-se de intestino preso ou de cólicas e diarreias constantes. Ao se investigar a causa dessa alteração intestinal, não se encontra nenhuma alteração alimentar, doença intestinal ou doença infecciosa.
    Intestino
  5. Bexiga: A fibromialgia pode ser uma das causas de dor para urinar e de urgência miccional, que é a sensação de ter que sair correndo para ir ao banheiro para não perder urina na roupa.
    Bexiga

Além disso a fibromialgia pode piorar a da dor em cólica das mulheres, ser causa de dor na relação, pode causar formigamento ou adormecimento dos braços e pernas, zumbido, tonturas, sensação de inchaço, problemas de atenção, falta de concentração e de memória, dores de cabeça frequentes, entre outros sintomas.
A fibromialgia é muito mais comum em mulheres do que em homens. De cada dez pessoas com fibromialgia, sete são mulheres.
Uma dúvida comum sobre a fibromialgia, é se a dor realmente existe ou se é um problema psicológico. Na fibromialgia o que ocorre é uma alteração no funcionamento do cérebro para o processamento da dor, um fenômeno conhecido como sensibilização central, em que o indivíduo fica mais sensível a estímulos dolorosos e não dolorosos como toque, calor, frio, etc. Como resultado, ele tem maior percepção da dor e uma maior dificuldade em inibir a dor.
Tudo isso pode ser causado por traumas físicos e emocionais, alterações genéticas e doenças sistêmicas. Portanto, é importante ressaltar que a dor é real, e o estresse e as alterações emocionais podem piorar o quadro de dor.
Como mencionado anteriormente, o diagnóstico de fibromialgia é clínico. Cada sintoma descrito é como uma peça de um quebra cabeça. O diagnóstico se dá com a junção de algumas dessas peças. Por exemplo, o paciente pode ter uma dor crônica, alteração de sono ou de humor, e além disso alguma outra queixa como uma alteração intestinal, uma dor de cabeça, um zumbido, uma tontura, etc. Não é necessário ter todos os sintomas mencionados para o diagnóstico de fibromialgia.
A fibromialgia tem importante impacto na qualidade de vida. Por isso, uma pessoa que apresente os sintomas descritos deve procurar um médico e relatar os sintomas para que ele chegue ao diagnóstico correto. Apesar de não existir uma cura para a fibromialgia, existem tratamentos que permitem ao paciente ter uma qualidade vida muito boa. Os médicos mais indicados para diagnóstico e tratamento de fibromialgia são os Reumatologistas, os Fisiatras, os Neurologistas, e os médicos especialistas em dor.

Theme developed by TouchSize - Premium WordPress Themes and Websites