O QUE FAZER QUANDO UMA CRIANÇA ESTÁ COM FEBRE?

A febre é um aumento da temperatura do corpo gerado por alguma infecção ou inflamação. Muitas vezes a mãe, pai ou avó tocam a testa ou o pescoço da criança para dizerem se está com febre ou não. Em geral eles acertam, pois são as pessoas que melhor conhecem a criança. Mas para o médico é importante saber o valor dessa temperatura. Por isso, se há suspeita que uma criança está com febre a primeira coisa a fazer é medir a temperatura. Para a medicina, uma criança está com febre quando a temperatura medida na axila é maior que 37,8℃. Se for menor que este valor diz-se que que a criança está em estado subfebril.
Para a medicina, uma criança está com febre quando a temperatura medida na axila é maior que 37,8℃. Se for menor que este valor diz-se que que a criança está em estado subfebril.
Uma atenção especial deve ser dada ao termômetro que está sendo usado. Os termômetros de testa e de orelha são úteis porque são muito práticos, mas o melhor é usar o termômetro axilar, o que se coloca em baixo do braço, porque ele fornece a temperatura mais confiável.

Motivos da febre

O corpo humano tem um centro de controle da temperatura que faz com que a nossa temperatura fique relativamente estável ao longo do dia, com pequenas variações.
Se está muito quente, naturalmente colocamos roupas mais leves, usamos ventilador ou ar condicionado e suamos mais. Isso faz com que o corpo perca calor.
Se está muito quente, naturalmente colocamos roupas mais leves, usamos ventilador ou ar condicionado e suamos mais. Isso faz com que o corpo perca calor.
Se está frio, fazemos o contrário: colocamos mais roupa, ligamos o aquecedor, e o corpo começa a tremer. Tudo isso é feito para manter a temperatura do corpo estável.
Se está frio, fazemos o contrário: colocamos mais roupa, ligamos o aquecedor, e o corpo começa a tremer. Tudo isso é feito para manter a temperatura do corpo estável.
Na febre, o centro de controle da temperatura está desregulado. Ele dá a ordem para o corpo produzir calor e, mesmo já estando quente, ainda continua tentando se aquecer cada vez mais. É por isso que uma criança com febre pode começar a tremer, ficar com as mãos geladas e até ficar com os lábios arroxeados. Na verdade, ela está com uma sensação de frio. O aumento de temperatura é um mecanismo de defesa do corpo, que libera substâncias para combater o vírus ou a bactéria que estão causando a doença.

Se uma criança está com febre deve-se ficar atento a dois aspectos:

  1. Se isso pode ser grave e, portanto, deve-se procurar o Pronto Socorro;
  2. A causa da febre.

Sinais de Alerta

Deve-se procurar um Pronto-Socorro ou um médico Pediatra quando, além da febre, a criança apresentar algum sinal de gravidade, o que na medicina é chamado de sinais de alerta:

  • Idade menor de 3 meses: Bebês com menos de 3 meses sempre precisam ser avaliados Portanto se uma criança com menos de 3 meses tiver temperatura acima de 37,8C, é preciso procurar o Pronto Socorro.
  • Prostração: é normal a criança ficar “caidinha, molenga” quando a febre vem, mas depois que o antitérmico baixar a temperadora, a animação tem que voltar. Se isso não acontecer é preciso procurar o Pronto Socorro.
  • Se a criança, além da febre estiver se queixando de dor de cabeça e vômitos, é preciso procurar o Pronto Socorro.
  • Manchas no corpo, que aparecem junto com a febre podem ser também um sinal de gravidade. Na maior parte das vezes estas manchas são causadas por doenças benignas, virais, porém é difícil diferenciar o tipo de manchas graves dos outros tipos de manchas. Portanto, se aparecerem manchas no corpo, é preciso procurar uma médico.
  • Outros sinais de alerta importantes são sensação de falta de ar, dificuldade em ingerir líquidos com diminuição do xixi, sonolência persistente e confusão mental, e febre que permanece intensa por mais de 48 horas.

É interessante esclarecer que a febre alta não é sinal de alerta Algumas doenças virais benignas podem causar temperaturas elevadas e isso não necessariamente implica em gravidade. Outra coisa que preocupa muito os pais é a convulsão febril. Se não tiver nenhum sinal de alerta, a convulsão febril é um evento benigno, sem nenhuma consequência para o futuro da criança. Além disso, não é qualquer criança que tem convulsão febril. Geralmente acontece em famílias que tem histórico dessa convulsão, ou seja, que têm uma predisposição genética. Se isso acontecer, é preciso ficar calmo e procurar um Pronto Socorro.
Portanto, se a febre aparecer, deve-se observar a criança com atenção, dar um antitérmico para baixar a temperatura e oferecer bastante liquido. Deve-se ficar atento aos sintomas que podem surgir: dor de garganta, diarreia, tosse com catarro, dor ao urinar.
Portanto, se a febre aparecer, deve-se observar a criança com atenção, dar um antitérmico para baixar a temperatura e oferecer bastante liquido
Esses sintomas podem indicar de onde a febre está vindo. Nas primeiras 24h pode ser que nem mesmo o médico consiga ainda dizer de onde a febre vem. Então, se a criança estiver ativa, sem nenhum dos sinais de alerta citados, é até melhor esperar um pouco. Lembre-se que quando se leva a criança ao Pronto Socorro, ela fica exposta ao risco de outras infecções. Portanto, deve-se medicar, observar com atenção e aguardar.
Uma dúvida comum se refere a dar banho quando a criança está com febre. O banho não deve ser frio, mas morno. Ele deve acontecer em média 30 minutos depois do antitérmico, quando o controle da temperatura já foi ajustado pelo antitérmico e o corpo começa a suar e perder calor.

Theme developed by TouchSize - Premium WordPress Themes and Websites