Pancreatite aguda

A pancreatite é uma doença potencialmente muito grave e que se não for tratada corretamente pode levar à morte. Os principais sintomas iniciais são dor abdominal, náuseas e vômitos. Entretanto, esses sintomas são comuns a diversos problemas muito mais comuns e muito menos graves como gastrite, viroses, gases, dentre outros.

Por esse motivo, é importante saber quando se deve suspeitar que uma dor de barriga se trata de um quadro de pancreatite. Para entender melhor, antes de entender sobre os sintomas, é preciso entender um pouco sobre o pâncreas e o que é a pancreatite.

O pâncreas é um órgão pequeno, que mede cerca de 50 a 60 cm e pesa não mais que 100 g. Ele fica localizado atrás do estômago e dos intestinos. Vendo o corpo de fora, ele se localiza na parte mais alta da barriga, no que popularmente é chamado de “boca do estômago”, e fica mais próximo da coluna vertebral.

Pâncreas tem duas funções principais:

A primeira função é a função de produzir hormônios. Os dois principais hormônios produzidos pelo pâncreas são a insulina e o glucagon, que são os hormônios responsáveis pelo controle da glicose, que é o açúcar no sangue. O desbalanço entre esses hormônios pode levar ao aparecimento de algumas doenças, como o diabetes.

A segunda função do pâncreas, e a mais importante, é a função digestiva. O pâncreas produz uma enorme quantidade de enzimas para digerir os alimentos que comemos. Ele produz enzimas que digerem os carboidratos, proteínas e principalmente os lipídeos, que são as gorduras. O nosso corpo é formado exatamente  de carboidratos, proteínas e gordura, as mesmas coisas que as enzimas do pâncreas digerem. Entretanto, não somos digeridos por essas enzimas porque essas enzimas, em uma situação normal, só começam a funcionar e digerir o alimento quando saem do pâncreas e atingem o intestino. A parede intestinal é preparada para que ocorra o processo de digestão. Se ocorre uma inflamação do pâncreas  e essas enzimas não chegam ao intestino e ficam presas no pâncreas, elas ficam ativadas dentro da glândula, começando um processo de digestão do próprio pâncreas. Isso é o que chamamos de Pancreatite Aguda.

Muitas vezes esse processo se inicia na região do pâncreas, mas pode atingir outros órgãos, como, por exemplo, os pulmões e os rins.

Entendido isso, podemos entender quais são os sintomas de pancreatite aguda e quando devemos suspeitar que a dor de barriga pode ser um quadro de pancreatite. As características mais importantes são a localização e a intensidade da dor.

A dor de barriga da pancreatite aguda é no abdômen superior, próximo à boca do estômago, e que pode correr para os lados e para as costas, a chamada dor em faixa. A dor é muito forte. Os pacientes costumam dizer que a dor se parece com um soco no estômago.

Uma outra característica importante é que essa dor não melhora com os analgésicos comuns e, na maior parte das vezes, vem associada à náusea e eventualmente vômitos.

Podem ocorrer também distensão abdominal, falta de ar, icterícia, dentre outros, dependendo da causa e da gravidade da doença.

Além desses sintomas, é importante saber sobre a existência de algum fator de risco para esse problema. Três deles podem ser destacados:

  1. Existência de pedra na vesícula biliar: Essa é a principal causa de pancreatite aguda, correspondendo à metade dos casos. Os ductos, que são os caninhos que levam a bile aos intestinos,  passam muito próximos aos ductos que levam as enzimas do pâncreas. Por isso, essas pedras, especialmente as pequenas, podem sair da vesícula biliar e entupir o ducto da bile, mas também o do pâncreas, causando a pancreatite.

Qualquer pessoa pode ter pedra na vesícula, mas é mais comum em mulheres, em pessoas acima de 50 anos, em obesos, e em pessoas que comem muita gordura ou ingerem grande quantidade de bebida alcoólica.

2. Ingestão de bebidas alcoólicas com frequência. A segunda causa mais comum de pancreatite é a ingestão de bebidas alcoólicas. O álcool é tóxico ao pâncreas, portanto quanto maior a quantidade de álcool ingerido, maior o risco de agressão ao pâncreas. As bebidas destiladas (como pinga, vodka, whisky) tem maior concentração de álcool do que as fermentadas (cerveja e vinho), portanto tem maior potencial de causar danos pancreáticos.

3. Hábito de fumar: O hábito de fumar também aumenta a predisposição de uma pessoa a ter episódios de pancreatite aguda.

Existem muitas outras causas para a pancreatite aguda, como o uso de alguns medicamentos, alterações genéticas, taxa triglicérides no sangue muito elevada, dentre outras. Alguns vírus também podem causar pancreatite aguda. O vírus da caxumba pode também inflamar o pâncreas, assim como o citomegalovírus, o HIV e o vírus da febre amarela, embora isso nem sempre aconteça. Se uma pessoa foi diagnosticada com alguma dessas infecções virais e está sentindo dor na região do abdômen superior é importante que ela passe por uma avaliação médica.

O importante é saber que a pancreatite aguda normalmente tem evolução muito rápida. Portanto, se um indivíduo tiver dor de barriga na boca do estômago, que não melhora com os analgésicos comuns, e que são acompanhadas de náuseas e vômitos, deve-se procurar o Pronto Socorro para uma avaliação médica, de preferência com um Cirurgião Geral, Cirurgião do Aparelho Digestivo, ou Gastroenterologista Clínico.

Assista no vídeo a seguir a explicação de nosso especialista!

Inscreva-se em nosso canal. 

Postamos vídeos novos todas as quartas às 11h!

Fique conectado

Acesse nosso facebook.

Fale conosco por e-mail:

Receba as novidades do Dr. Ajuda direto no seu e-mail!



Copyright – All rights reserved – Estes vídeos não dispensam uma consulta médica.

Theme developed by TouchSize - Premium WordPress Themes and Websites